HOME | 2006 | 2007 | 2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | ATL:BR
SFL Music Magazine entrevista Alex Gaskarth e Jack Barakat
Data: 04 Agosto de 2009
Fonte: Rhapsody
Tradução: Bruna

ACom um pop punk matador de garotas, All Time Low vem quebrando corações e esgotando shows durante sua melhor época dos últimos quatro anos. Eles lançaram três álbuns aclamados pela critica, abriram a turnê do Fall Out Boy e registraram quase 70 milhões de acessos na página de seu MySpace. Entretanto, não foi até o ultimo mês que eles surpreenderam a moda com um novo álbum que foi lançado em 4º lugar durante sua primeira semana de venda. Contratando alguns impressionantes veteranos da indústria de produtores mais respeitados (Matt Squire, the Dream, Butch Walker), Nothing Personal criou um tipo de rumor nos blogs e sites de relacionamento pela Web, levando a uma grande quantidade de agitação e altas expectativas antes da gravação do álbum estar completa. Rhapsody se encontrou com o vocalista Alex Gaskarth e o guitarrista Jack Barakat durante a quarta Warped da banda, a fim de conversar sobre a criação e gravação de Nothing Personal , a turnê com blink-182 e o que significa ter sua própria linha de roupas.

Então, durante o outono e a primavera, vocês fazem turnê com um monte de bandas que estão na Warped e então se reúnem todo verão para a Warped.
Gaskarth:
É, é isso que faz a Warped Tour tão ótima. Muitas bandas que nós fizemos turnê com antes, estão aqui na Warped Tour, e também muitas bandas que nós geralmente não teríamos chance de entrar em turnê junto também estão aqui, então nós podemos sair com eles também, o que é muito legal.

Eu sinto que muitas bandas medem seu sucesso por tocar ou não na Warped, mas uma vez que eles realmente tocam nela, bate a realidade de como brutal realmente é.
Gaskarth:
É, definitivamente não é uma caminhada pelo parque, mas nós amamos isso, cara. Tem uma razão para nós voltarmos quatro vezes seguidas. Nós realmente gostamos.

Tem havido muita controvérsia com bandas como Millionaires, Brokencyde e Jeffree Star pela mistura desse ano. Como vocês se sentem sobre isso?
Gaskarth:
É um dia novo, cara. Eu acho que ou você gosta da música ou não, você tem que aceitar o fato que eles estão por perto; você tem que aceitar o fato que há um grupo de pessoas que escutam essa música. Eu não vou pular na multidão e odiar todas essas bandas. Eu tive a oportunidade de conhecer muitas dessas pessoas agora, e você percebe que elas só estão tentando fazer a mesma coisa que nós estamos. Ou você apóia o jeito que eles estão fazendo ou não, tanto faz. Eu provavelmente não escolheria ouvir a música deles, mas eu realmente gosto, gosto mesmo de Jeffree Star e as garotas do Millionaires. Eu ainda não conheci Brokencyde, mas como pessoas todos são ótimos.

Vocês acabaram de lançar um novo álbum há algumas semanas. O que você tem a dizer sobre Nothing Personal?
Gaskarth:
Um...por favor vá comprar. [Risos] Foi a maior diversão que nós tivemos gravando um álbum; é o melhor álbum que nós já fizemos, em minha opinião. Eu espero que as pessoas o recebam tão bem quanto estiveram até agora. Teve muita agitação para o lançamento do Nothing Personal. Você sente que teve que viver para as expectativas das pessoas já que você estava escrevendo e gravando?
Gaskarth:
É um tipo de efeito vai-e-volta, onde você definitivamente quer conseguir acertar e você não quer se afastar muito para fora da sua caixa, onde as pessoas não conseguem gostar de você pela banda que você tem, mas também tem um nível de ter que crescer. Nós temos que amadurecer com nossos fãs e também amadurecer de um jeito que as pessoas possam vir juntas e aceitar. É uma balança delicada, mas eu acho que pelo fato de nós termos trago junto cinco produtores para esse álbum meio que nos ajudou a expandir nossos horizontes. Nós sabíamos como queríamos que o som ficasse e onde nós queríamos estar no fim da gravação, mas trabalhar com cinco produtores separadamente realmente nos ajudou a, em cada grupo de musicas, ir em pequenas diferentes direções. Nos final do dia, nós terminamos com um produto que era bastante variado, mas que também soava como o All Time Low, sem importar quem produziu a música. Você pode ir de música em música e muitas pessoas não irão conseguir perceber quem fez o que, o que é bem legal.

Com Put Up Or Shut Up, o som era mais pesado e mais influenciado pelo punk. Então vocês lançaram o So Wrong, It'sRight, que tinha uma diferença drásticas, influências de pop no estilo do vocal e isso levou ao Nothing Personal.
Gaskarth:
[Risos] Definitivamente. Eu aprendi a cantar. Muitas pessoas dizem que minha voz não soa tão profunda e baixa como costumava ser, e há pessoas que gostaram e outras que não, mas é realmente apenas o fato que eu costumava perder a voz todo o tempo. Era assim que minha voz soava antes, e era o som de mim cantando incorretamente. Desde então, eu aprendi como eu devia soar e como eu deveria cantar, eu não quero perder minha voz tão cedo mais.

Você teve um treinador de voz ou apenas viu vídeos no Youtube para aprender a cantar?
Gaskarth:
Eu tive a oportunidade de conversar com treinadores. Eu gastava uma hora aqui e ali com pessoas, mas nunca realmente tive aulas. Todo mundo é diferente, e leva um tempo para você encontrar seu som.

Então, blink-182 estão de volta juntos.
Barakat:
Estão?

É, cara. Eu não acredito que você disse isso.
Gaskarth
[Risos] Wow. Eu estive saindo com Bear Grylls.

Então, como foi para vocês ouvirem que eles voltaram há uns meses atrás? Eu sei que vocês gravaram uma música com Mark Hoppus.
Gaskarth:
Nós não gravamos ela com ele, nós escrevemos ela com ele.

Porque ela não está no Nothing Personal?
Gaskarth:
Ela foi escrita com tanta antecedência que quando nós nos reunimos para fazer o resto do álbum, ela apenas não fazia sentido sonoramente.

Você acha que vão lançar ela um dia?
Gaskarth:
Eu não sei...eu não sei.

Depois de trabalhar com Mark e ficar em contado com ele, eu meio que assumi que você estariam na turnê do blink. Tem alguma razão para vocês não estarem?
Gaskarth:
[Risos] Talvez porque nós não lançamos a música.
Barakat: É. "Vão se foder crianças".[Risos] Eu acho que honestamente é porque nós estamos na Warped Tour. Warped foi agendado pela mesma pessoa que agenda a turnê do blink.
Gaskarth:Eu acho que a maior coisa é que eles estiveram fora por cinco anos, e todo mundo quer entrar em turnê com eles.
Barakat: É uma longa fila de espera.
Gaskarth: Eles devem favores para um monte de bandas. É uma longa lista de pessoas que eles prometeram levar com eles.
Barakat: Algumas crianças de 21 anos de idade que amam a banda deles provavelmente não estão no topo da lista do blink.
Gaskarth: Nós acabamos de entrar em cena, então nós continuamos a turnê, com sorte algum dia acontecerá.

Jack, você tem sua própria linha de roupas do Glamour Kills. Normalmente esse tipo de coisa é reservada para o cantor principal. Alex, onde está sua linha de roupas?
Gaskarth:
Cara, eu não tenho tempo ou paciência para mexer com isso.

Então, Jack, você mesmo desenha as roupas?
Barakat:
Não realmente.
Gaskarth: Jack não fazer merda nenhuma. Eles só meio que dá seu nome para elas. Eu dou nome para a empresa, pelo amor de Deus. Eu estou realmente abaixo da linha, nós estamos falando sobre juntar formas para fazer algo ainda maior. Nós fizemos coisas com a Hurley, e até estamos falando com a Nike sobre fazer outras coisas.

Quais são seus planos para depois da Warped?
Gaskarth:
Turnê, turnê, turnê, turnê, turnê.

Vocês tem alguma história sobre fãs loucas?
Gaskarth:
Bem, Jack teve uma orgia a cinco.Barakat: O quê?!

Com cinco garotos, ou cinco garotas?
Gaskarth:
Cinco caras.

Bem, quem já não fez isso?
Gaskarth:
[Risos] É...





Hosted by Flaunt Network